loja Lendo e Escrevendo: Vergonha (Brittainy C. Cherry) #Resenha

segunda-feira, 8 de julho de 2019

Vergonha (Brittainy C. Cherry) #Resenha


Um amor inesperado que surge de forma inusitada e arrebata a vida de Grace Harris. Grace Harris está perdida e sozinha em sua casa em Atlanta depois que o homem que ela pensou que ficaria a seu lado pelo resto da vida traiu sua confiança, partiu seu coração e saiu de casa, deixando seu casamento em suspenso. Grace resolve, então, passar o verão com a família em Chester, sua cidade natal, para respirar, dar um tempo de tudo. Sua vida está uma bagunça e o que ela precisa no momento é de um pouco de gentileza e compaixão.Por incrível que pareça, Grace encontra isso na pessoa mais improvável de todas: Jackson Emery, a ovelha negra da cidade. Conhecido como a erva daninha de Chester, ele é sinônimo de encrenca, e não faz nada para mudar essa imagem. Tendo perdido na infncia o que havia de mais valioso na vida, Jackson se tornou um homem amargurado e não dá a mínima para o que pensam dele. Os caminhos de Grace e Jackson acabam se cruzando de um jeito inusitado e a tristeza profunda que carregam atrai os dois como ímã. Ambos sabem que não foram feitos um para o outro, mas, como tudo vai acabar mesmo com o fim do verão, resolvem deixar rolar e se entregar a uma diversão passageira. Porém, o que Grace não imaginava é que seu coração, já destroçado, seria obrigado a aprender que certos relacionamentos são capazes de causar dores muito profundas, e que é sempre preciso fazer uma escolha.

Olá pessoas, é muito legal estar de volta ao lendo e escrevendo, quando a Pat me perguntou se eu queria fazer essa resenha topei na hora! “Vergonha” teve um hype enorme quando foi lançado lá nos USA, o booktubers gringos diziam que esse era o melhor romance/NA da Brittany; eu tenho um caso de amor e ódio com a escrita dela e logo que foi anunciado a versão brasileira, o livro entrou para a minha lista de desejados. Já adianto que essa foi mais uma das experiências de leitura que me fizeram amar a Brittany.

Como em todos o New Adult os protagonistas já não são tão adolescentes e os problemas a enfrentar são sempre mais intensos, de todos os livros que já li da autora em alguns com a mais absoluta destreza ela fez com que eu me apaixonasse e sofresse junto com eles.

Em “Vergonha” vamos acompanhar uma narração em primeira pessoa que divide o ponto de vista entre os personagens principais; a Grace é a filha mais velha do Pastor (de uma cidadezinha minúscula situada no sul dos USA, a cidade é quase um personagem do próprio livro, imaginem todos os estereótipos de cidade fofoqueira, o pior tipo de cidade que você puder imaginar), Grace casou com seu namorado do colégio, viveu bons anos de um conto de fadas, mas tudo está desmoronando, depois de sucessivos abortos, Finn (seu marido) a traiu, eles estão se divorciando e ela está voltando para casa dos pais para contar o que está acontecendo na vida dela.


“Era tão intrigante olhar com atenção para alguém que eu acreditava ser tão diferente de mim e enxergar partes que combinavam perfeitamente com alguns cantos da minha alma.”

Jackson Emery foi um garotinho solitário, mas extremamente amado pelos pais; acompanhamos flashs do passado nos quais vemos uma família despedaçando se aos poucos, o garoto que tinha nos pais o maior exemplo de amor, vai precisar entender que o amor as vezes chega ao fim de uma maneira bem dramática; parte do que aconteceu em sua infância constrói quem o Jack vai se tornar, alguns traumas mudam tanto as crenças do menino que agora se tornou o bad boy da cidade, como mudou para sempre a relação que construiu com o pai.

“— Nós fomos criados para sentir, Grace. Acontece que, às vezes, nossos sentimentos parecem desordenados. É incrível como seu coração pode bater cheio de amor em um momento, e no seguinte, o ódio entrar. Você não está errada por se sentir assim.”

Numa cidade construída sob os pilares da moralidade imposta pela igreja, Jack tornou se a própria personificação do diabo, tudo o que acontece de errado na cidade a maioria das pessoas tem a tendência de atribuir ao Jack e ao pai dele, Grace quando deixou a cidade já sabia dessa reputação e até aceitava os rótulos pré-definidos pela cidade em que vivia, o que ela está prestes a descobrir é que ela e Jack tem muito mais em comum do que ela imaginava.

“Às vezes era difícil ser uma seguidora de Deus, quando os sussurros do demônio pareciam bem mais satisfatórios. ”

A família de ambos os personagens são um ponto chave na construção dessa história, há espaço para torce e odiar ambos os lados; o plot da história é basicamente construído em duas pessoas quebradas que a vida junta para que elas tentem juntar os caquinhos; a questão é que quando se há muitos cacos juntar os pedaços é doloroso demais.

“As pessoas não precisam de gentileza, elas precisam de verdade. Acho ridículo que um cara tenha esse tipo de poder sobre você. Tenha um pouco de amor próprio. É loucura dar o controle total das suas emoções para alguém que não está nem aí para você.”

Não é a primeira vez que Britanny descreve cenas que envolvem a literatura como meio de comunicação entre os personagens e essas cenas são aquelas que fazem qualquer leitor se apaixonar ainda mais, não há um simples fã servise ou personagens secundários que tape buraco, os processos de luto, autodescoberta e despedidas que vamos acompanhar é de cortar o coração e de fazer chorar as 7 da manhã no metro.
 "Aquilo partiu meu coração e o curou ao mesmo tempo."

 Não se deixe enganar pela capa, esse é um drama pelo qual é impossível continuar sendo a mesma pessoa após a leitura, mesmo que você jamais tenha vivido qualquer situação parecida, a maneira como a autora retrata a fé, o amor é tocante. A única coisa que me faz tirar uma estrela desse livro foi a escolha editorial da Record em lançar o livro com essa capa (eu sei que é exatamente a mesma capa da edição americana) mas QUALQUER um que tenha lido o livro sabe que a história é muito mais que um cara com o corpo sarado, Jack pode até ser um Deus do sexo, mas definitivamente a capa na traduz nem 0,5% da grandiosidade dos temas trados.

Espero que gostem tanto quanto eu da leitura e para quem já leu, por favor, compartilhem comigo o tamanho do ranço de vocês com a “melhor amiga” da Grace!

Ósculos e amplexos, Karina.

Livro: Vergonha
Autora: Brittainy C. Cherry
Editora: Editora Record
ISBN-13: 9788501302854
ISBN-10: 8501302856
Ano: 2019
Páginas: 420



Karina, biomédica por formação e bookaholic por paixão!* Resenha escrita pela colaboradora Karina Carvalho especialmente para o Lendo e Escrevendo


9 comentários:

  1. Olá, Pah.

    Realmente a capa da a entender que o livro é aqueles hots clichê com várias cenas de sexo e nada mais.
    É bom saber que a autora consegue mesclar isso com assuntos mais sérios, confesso que fiquei curiosa para conhecer mais a respeito dos personagens.
    Tem livros da autora que me chamam a atenção, outros eu acho que são muito bobos, mas Vergonha é eu estilo de leitura, então com certeza eu apostaria na leitura.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ká.
    Ainda não li nada da autora, mas me animei a ler, começando por esse.
    Foi ótimo saber mais sobre a história!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  3. Eu preciso ler esse livro, ultimamente tenho lido tantas resenhas dele que jé me sinto intimada a ler o quanto antes! Amei o seu post ♥

    ResponderExcluir
  4. Oi, da autora eu já li O ar que ele respira e gostei, antes havia tentado ler aquele das águas e não fui tão presa pela história. Então estou curiosa para ler Vergonha por ver tantos comentários positivos sobre a obra, assim como sua resenha. Os dramas dos personagens, a relação deles com a família e a cidade, parece ser super interessante.

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Eu não gosto dessa capa, mas a escrita da Brittainy é sem dúvidas muito envolvente e os temas abordados sempre tendem pro lado do drama familiar e com algumas reflexões interessantes. Tenho certeza de que será uma leitura que me conquistará.

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  6. Sim! Pra mim o maior problema dessa obra é justamente essa capa, que é injusta demais com o enredo, há muito mais que um corpinho sarado, o drama dessa história me envolveu demais e torci tanto por esse casal... O final me deixou cheia de medo hahaha. Adorei conferir suas impressões a respeito.

    ResponderExcluir
  7. Li um livro da autora e não funcionou pra mim, achei a escrita muito dramática por isso não tentei ler mais nada dela. Mas tenho que confessar que esta capa me chama a atenção... rs Quero ler agora...
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    tenho visto muitas pessoas reclamando dessa capa, algumas inclusive sequer cogitando ler a história, única e exclusivamente devido a capa. Eu sinceramente não entendo o porque de tudo isso. Concordo que a capa é apelativa, e da uma primeira impressão errada sobre o conteúdo, mas nós leitores já deveríamos saber que o que de fato importa numa leitura não é a embalagem. Eu peguei esse livro, porque foi escrito pela Brittainy, uma autora que adoro, me interessei ainda mais depois de ler a sinopse e se você quer saber, não me demorei mais que alguns segundos na capa. Que mesmo passando uma mensagem diferente da história, não chega a ser feia, um homem bonito sem camisa, e daí? Não quero problematizar nem nada, mas é algo tão banal para se desistir de uma leitura, você não acha? Quanto a história, também me apaixonei completamente, inclusive acredito que seja a minha preferida dentre todas as que li da autora.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem? Esse livro tem dividido opiniões. Primeiro por causa da capa que alguns leitores esperavam um tipo de leitura. Segundo pelo enredo. É uma leitura que surpreende com certeza. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir


Se Chegou até aqui que tal comentar?!


Sua opinião é importante, assim sei o que está achando. Além disso, comentários são bem vindos, mas seja educado ;)

- AVISO: O blog NÃO disponibiliza livros para download, e NÃO permite comentários que contenham links para essa finalidade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...