terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

In Flight (R.K. Lilley) #Resenha

Quando Bianca, uma reservada comissária de bordo, vê pela primeira vez James Cavendish, um bilionário proprietário de hotéis, ela perde toda a compostura conquistada a duras penas ao longo da vida. Para uma garota que consegue manejar facilmente uma bandeja com taças de champanhe a trinta e cinco mil pés de altura sobre saltos de oito centímetros, ela se vê surpreendentemente de pernas bambas diante do homem enigmático.Bianca, sempre imperturbável, agora não consegue mais se desviar daqueles olhos azul-turquesa eletrizantes que apresentam um desafio e uma promessa irresistíveis. Ainda mais para ela, uma mulher acostumada a dizer “não” e a falar sério.Bianca costuma lidar com supermodelos e estrelas de cinema em seu trabalho, mas James Cavendish coloca todos eles no chinelo quando o assunto é beleza. Se a aparência fosse o único aspecto destoante nesse homem, Bianca até poderia ter ignorado as atenções recebidas. Porém, o que a tenta como nunca antes é a força dominante que a atrai desde o momento em que eles se encontram e a promessa de prazer e dor que ela lê em seus olhos.

50 tons mais escuros estreou há pouco tempo nos cinemas brasileiros, e com ele a discussão sobre livros eróticos voltou à tona, verdade seja dita, bom ou ruim, a trilogia abriu um leque de possibilidades e oportunidades para autores do gênero. Homens ricos, misteriosos com um passado traumático (ou não) e com gostos peculiares entre quatro paredes atraíram milhares de leitoras e leitores (quem disse que os homens não leem esses livros?!) para um novo mundo literário, a possibilidade de redenção quando ele encontra o amor verdadeiro encantou leitores ao redor do mundo, bem como levantou discussões sobre abuso, e discussões mais acaloradas sobre o amor.

In Flight, primeiro volume da série Nas Alturas publicado no final de 2016 pela Editora Charme se enquadra parcialmente nessa categoria e se destaca por trazer aos leitores novos elementos que o diferenciam das demais obras publicadas nos últimos anos.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

[Trilha sonora] Os Mistérios de Sir Richard (Julia Quinn)


E hoje terminamos o especial de trilhas sonoras da série Quarteto Smythe-Smith da autora Julia Quinn, com a trilha sonora do quarto e último livro, Os Mistérios de Sir Richard.

Sir Richard KenworthyTem menos de um mês para encontrar uma esposa.
Ele sabe que não pode ser muito exigente, mas quando vê Iris Smythe-Smith se escondendo atrás de seu violoncelo no musical anual das Smythe-Smith, Richard acha que conheceu alguém muito valiosa.
Ela é o tipo de mulher que passa despercebida até a realização de um segundo ou terceiro olhar de outra forma. Mas há algo nela abaixo da superfície, algo quente e ele sabe que ela é única. Iris Smythe-Smith...Ela está acostumada a ser subestimada, com seu cabelo claro e tranquila, mas há uma personalidade astuta que ela tende a esconder, e ela gosta dessa forma. Então, quando Richard Kenworthy se aproxima com galanteios e flertes, parece suspeito.
Dando a impressão de um homem que se rende ao amor, mas ela. não pode acreditar que tudo é verdade. Quando sua proposta de casamento se torna uma situação comprometedora obrigatória, você não pode deixar de pensar que há algo escondido por trás disso. . . mesmo que o seu coração diz sim.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

[Trilha Sonora] A Soma de Todos os Beijos (Julia Quinn)


E ai, prontos para mais uma postagem sobre a trilha sonora do Quarteto Smythe-Smith? Dessa vez, vamos conhecer a trilha sonora escolhida pela autora para o terceiro livro da série.

Lorde Hugh Prentice é um gênio da matemática e teve sua perna (e sua vida) arruinada por causa de um duelo com seu amigo, Daniel Smythe-Smith.
Nesse livro, conheceremos um pouco da história de Hugh, antes e depois do acontecido. Sua família, o desespero de seu pai para conseguir que um de seus filhos lhe desse um herdeiro, visto que um não é chegado à mulheres e o outro, provavelmente terá dificuldades em encontrar uma esposa, e principalmente em ter filhos.
E, claro, sua relação de amor e ódio com Sarah Pleinsworth, prima mais velha de Daniel, que mesmo antes de conhecê-lo, já odiava Hugh por ter arruinado sua família através desse duelo.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

[Trilha Sonora] Uma Noite Como Esta (Julia Quinn)


Continuando com o especial Quarteto Smythe-Smith da autora Julia Quinn, dessa vez vamos com a trilha sonora do segundo livro dessa série.

Daniel Smythe-Smith passou três anos exilado na Itália depois de um duelo com seu amigo, o gênio matemático Hugh Prentice, e quase o fez perder uma perna. Com isso o pai de Hugh, Lorde Ramsgate, o ameaçou dizendo que se ele não saísse do país seria morto, mas um dia ele recebe a visita de seu amigo, que o libera para voltar à Inglaterra...
Ele volta justamente no dia da apresentação do Quarteto, mas encontra uma pessoa diferente ao piano (já que sua prima Sarah fingiu estar doente para não participar, Anne Wynter, a governanta das irmãs dela a substituiu), ao olhar para ela, ele fica encantado e, ao final da tortura apresentação ele corre para encontrá-la. Ao vê-la, não resiste e a beija, mesmo sem conhecê-la direito e ela, depois de um tempo escapa dele e se esconde.
Por falar em se esconder, Anne Wynter (ou melhor, Annelise Shawcross) esconde seu passado de todos, pois ela teve que se afastar de sua família, após ser enganada e humilhada por seu amado, que prometeu se casar com ela, sendo que na verdade já estava comprometido com uma mulher mais rica. Além de ter perdido a virgindade, o que já era terrível, ainda leva toda a culpa pelo que aconteceu, e por isso, ela não pode mais ter contato com a família e ela é levada para viver como governanta numa residência na Ilha de Man. Depois de um tempo, Anne foi contratada para cuidar das meninas Pleinsworth, primas de Daniel. E apesar da tentativa de manter seu passado oculto, a Lady Pleinsworth desconfiava que ela era de origem nobre e tinha motivos para negar sua criação.
Daniel, ao saber que Anne é a governanta de suas primas, resolve ir sempre à casa Pleinsworth sob o pretexto de vê-las, e sempre ia passear com elas, porque sabia que ela iria junto. E, com isso eles vão ficando cada vez mais apaixonados, mesmo que ela não adimita. Mas, o que ele não sabe, é que os segredos de Anne, vão além do tipo de criação que teve, e que agora, mais do que nunca, precisará conhecer o seu passado, pois ambos estão correndo perigo, e, desta vez, não tem nada a ver com o Lorde Ramsgate ou o duelo.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

[Trilha Sonora] Simplesmente o Paraíso (Julia Quinn)


Fonte
Os amantes de romances de época, ou aqueles que acompanham os lançamentos da editora arqueiro devem ter visto que fevereiro é o mês de lançamento do box da série Quarteto Smythe-Smith, composta por quatro livros (ok, isso é óbvio), mas as novidades não pararam por ai, a editora também anunciou a vinda da editora para o Brasil no mês de Março (saiba mais sobre os locais, datas e horários AQUI), e sim, ainda tem mais coisas, a autora tem uma página em seu site chamada Music & Lyrics onde publica a trilha sonora de seus livros e fala um pouco da escolha das músicas, como elas inspiram ou lembram seus livros.

Essa semana eu trago para vocês de todos os livros, começando com as músicas do primeiro volume Simplesmente o Paraiso.

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Quarteto Smythe-Smith (Julia Quinn) #JáConhece?


Um dos lançamentos mais aguardados desse mês chega pela Editora Arqueiro, Quarteto Smythe-Smith, se vocês acompanharam os livros sobre os Bridgertons, provavelmente vão se lembrar do nome Smythe-Smith.

Há quase vinte anos o sobrenome Smythe-Smith é sinônimo de música desafinada. Ainda assim – talvez por pena, talvez por surdez – a sociedade londrina continua a se reunir anualmente para assistir ao catastrófico concerto das jovens solteiras da família.   Pelo seu palco passam as histórias mais cativantes e os casais mais apaixonantes. Honoria e Marcus se reencontram e reavivam sua amizade, que pode ter um quê a mais (além de muitos bolos e tortas). Anne e Daniel sentem uma atração irresistível um pelo outro e precisam lidar com um perigo mortal – e com uma garotinha que ama unicórnios. Sarah e Hugh são assombrados por um evento do passado, mas não a ponto de não poderem trocar (muitos) beijos. Já Iris e sir Richard... bom, Iris não tem a mais vaga ideia do que o levou a pedi-la em casamento – ele só pode estar escondendo um segredo.   Não perca este magistral quarteto, digno de muitos aplausos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...