terça-feira, 25 de setembro de 2012

RESENHA - Belo desastre (Jamie McGuire)



Abby Abernathy é uma boa garota. Ela não bebe nem fala palavrão, e tem a quantidade apropriada de cardigãs no guarda-roupa. Abby acredita que seu passado sombrio está bem distante, mas, quando se muda para uma nova cidade com America, sua melhor amiga, para cursar a faculdade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy da universidade.
Travis Maddox, com seu abdômen definido e seus braços tatuados, é exatamente o que Abby precisa – e deseja – evitar. Ele passa as noites ganhando dinheiro em um clube da luta e os dias seduzindo as garotas da faculdade.
Intrigado com a resistência de Abby ao seu charme, Travis a atrai com uma aposta. Se ele perder, terá que ficar sem sexo por um mês. Se ela perder, deverá morar no apartamento dele pelo mesmo período. Qualquer que seja o resultado da aposta, Travis nem imagina que finalmente encontrou uma adversária à altura. E é então que eles se envolvem em uma relação intensa e conturbada, que pode acabar levando-os à loucura.
Belo desastre é um livro sexy e apaixonante, que vai deixar você completamente viciado.

Hoje resolvi começar essa resenha com um desabafo, e dele pegar um gancho para a resenha... vamos lá?
Como assim querem um cara desse jeito?! Sério, depois que terminei me perguntei se tinha lido o mesmo livro que muita gente por ai... porquê? Simples, honestamente não consigo me ver com um cara que é praticamente doente de ciúmes, que ao mero sinal de um contato meu com alguém do sexo masculino se transforma em alguém extremamente possessivo chegando ao ponto de quase surrar o cara com quem converso, e principalmente, mesmo quando não estamos juntos num relacionamento amoroso faz de tudo para estragar possíveis encontros (salvo na vez do clube com o Ethan), e isso estando no status de amigo, se queria algo mais que não insistisse tanto no quesito amizade, ou no caso de Travis, concordasse com a insistência de Abby em manter tudo na amizade.

Sim, sei que o Travis tinha que se resolver primeiro para depois engatar um relacionamento com a Abby, mas partir de um comportamento autodestrutivo para um no qual ela é a única salvação é um pouco extremo demais no meu ponto de vista, e claro que viver algumas coisas de modo intenso seja bom às vezes, mas o problema aqui é que tudo para ele é feito de modo intenso, e na maioria das vezes impensado, quando bebe é até cair; quando transa com alguém, ele a conheceu a menos de cinco minutos nos corredores da faculdade; os ciúmes nem se fala, é de forma intensa do começo ao fim e as únicas pessoas das quais ele não sente ciúmes é do Finch (que é abertamente gay) e do primo (nesse caso, acho que é só por que ele tem namorada), fora que a possibilidade de ganhar muito dinheiro sob bem rápido a cabeça dele, chegando ao ponto de nem pensar nas conseqüências para ele e para a Abby, isso pois ele sempre diz que pensa primeiro nela – será?

O fato, é que concordo com algo que Shepley diz, em determinado momento do livro, ele fala que é necessário ter paciência e saber perdoar para poder conviver com Travis, e isso não poderia ser mais verdadeiro, muitas das atitudes dele são repreensivas, e se não fosse o amor e a capacidade de Abby em perdoá-lo as coisas não teriam terminado do jeito que terminaram.

Não entendam minha critica ao personagem como uma critica ao livro, pois não é o caso, o livro – do meu ponto de vista – foi escrito com maestria pela autora que conseguiu em apenas um único livro, quando a moda são trilogias, criar uma história de amor tão intensa e arrebatadora que tem muita gente desejando um Travis Maddox apesar de todos os problemas e bagagem que ele tem, fora que conseguiu criar um par para ele na medida certa. Abby é o tipo de personagem feminina que cativa, e não se torna chata no decorrer do livro como vemos em algumas histórias por ai. Além disso, os personagens secundários são inseridos na história por um motivo, e não protagonizam pequenas aparições e depois desaparecem como se não houvessem existido, em Belo Desastre eles tem uma finalidade e alguns como America e Shepley se destacam bastante e de forma fundamental.

Depois de tudo só queria que alguém me explicasse uma coisa: porque tem uma borboleta na capa se o apelido dela é beija-flor?

Livro: Belo desastre
Autora: Jamie McGuire
Editora: Verus
ISBN:  9788576861911
FORM: 16 x 23 cm
PÁGS: 389

4 comentários:

  1. Concordo muito com algumas coisas que você disse, resenhei esse livro faz alguns dias e eu pesquisei a história da capa, parece que é um simbolismo para o relacionamento deles, por ser frágil, mas ainda não me convence hehe, ótima resenha :)

    Fernanda - Blog Super Bookaholic

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. realmente se essa é a explicaçao é um pouco fraca e nao me convence também
      obrigada pela visita

      bjos

      Excluir
  2. eu amei o livro!!! E claro que eu achei Travis Maddox um pouco louco, e quase psicopata em relaçao a Abby. ele se agarra a ela com uma imensa profundidade, a tornando o seu mundo, e sua fraqueza. mas o que eu mais amei nessa historia e que apesar das loucuras de Travis,e dos conflitos gerados, eles sempre se mantem juntos. ate mesmo quando estao separados.
    a capa, na minha percepçao, e o Travis. No exterior ele e o bad boy, uma pessoa sem sentimentos, mas por dentro ele e mais sensivel do que imaginamos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro tem seus altos e baixos, não concordo com muita coisa que ele faz, mas nem por isso ele desiste e conseguem fazer a coisa funcionar.

      Excluir


Se Chegou até aqui que tal comentar?!


Sua opinião é importante, assim sei o que está achando. Além disso, comentários são bem vindos, mas seja educado ;)

- AVISO: O blog NÃO disponibiliza livros para download, e NÃO permite comentários que contenham links para essa finalidade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...