quarta-feira, 1 de julho de 2015

Machado de Assis: do folhetim ao livro (Ana Cláudia Suriani da Silva) #Resenha

Publicado originalmente no formato de folhetim na revista de moda A Estação, o romance Quincas Borba, de Machado de Assis é considerado um dos mais importantes da obra Machadiana e um dos que definem seu estilo de narrativa, realista e irônica. Último romance publicado por Machado no então tradicional formato de publicação seriada em periódico, foram as dificuldades enfrentadas pelo autor durante a publicação e sua transição para a obra como volume completo que definiram pontos importantes do estilo de escrita do mais relevante autor brasileiro. São essas diferenças entre as obras, seus pontos de encontro e distanciamento e suas consequências que são estudados por Ana Cláudia Suriani da Silva, em seu livro Machado de Assis: do folhetim ao livro.  
Oi gente, cá estou eu fazendo uma pequena participação no blog da minha amiga Pah para comentar um livro sobre um dos meus autores do coração: “Machado de Assis do folhetim ao livro”.


Antes de iniciar os trabalhos quero esclarecer que esse é um livro de não ficção, um texto acadêmico, a publicação da pesquisa de doutorado de Ana Cláudia Suriani da Silva. Com isso a linguagem e organização do texto é bem diferente de um livro de “literatura de entretenimento” tendo esses aspectos em mente podemos continuar.

Desde a faculdade eu não lia muito essa vertente mais técnica, e nos últimos anos na verdade eu não li nada desse estilo, então o começo da leitura ficou um pouco travado, mas assim que me reacostumei com a linguagem e o ritmo o livro fluiu bem, afinal apenar de ser um tema específico ele traz uma linguagem muito técnica e o desenvolvimento é bem encadeado.

Nesta obra a autora vai comentar sobre a evolução das publicações de Machado, usando como base a transição de suas publicações em folhetim (jornais, revistas) até serem feitas exclusivamente em livros, para isso ela irá dar um enfoque maior a obra Quincas Borba por ser justamente essa a que irá marcar essa transição.

Mas esse livro vai além da proposta, pois a autora irá mostrar a influência do próprio folhetim nas publicações de Machado enquanto realizadas nesse meio e para isso ela dedicou parte de seu estudo para uma visão aprofundada e objetiva sobre a revista Estação (folhetim em que foi publicado Quincas Borba).

Na parte em que a autora irá analisar a revista, ela mostra para o leitor a sua origem como a versão em português de uma publicação alemã, com conteúdo de moda e costumes parisienses, que continha também um espaço onde os textos literários eram publicados. Aprofundando seus estudos, ela irá mostrar através da origem da revista, seu público alvo e seus objetivos, chegando aos aspectos que acabaram por integrar o romance, tanto em seu enredo principal, como no trato sobre a ascensão das classes, como por detalhes, vistos durante a descrição e evolução dos trajes dos personagens.

Em outros capítulos a autora irá se aprofundar mais na própria obra Quincas Borba, mostrando outros aspectos que serviram como base para a criação dessa história além da revista, como, por exemplo, o texto Diário de um louco, de Gogol. Durante essa análise a autora irá tratar de elementos da obra de Machado (enredo, personagens, narrador e o fluxa da história).

Continuando nessa observação detalhada da obra, Ana Cláudia trará em seus capítulos finais uma análise sobre o texto de Quincas Borba enquanto publicação de folhetim e posteriormente como livro, visando comentar vários pontos em que um texto difere ou é igual ao outro. Com isso ela mostra não apenas as adaptações que foram necessárias para a publicação em livro, mas também o ponto em que a escrita de Machado de Assis não cabia mais nesse estilo utilizado em folhetim.

Eu, como uma fã do Machado, gostei bastante desse livro, pois nunca tinha estudado ou lido muito a respeito dessa mudança e amadurecimento da sua escrita, ao ponto em que seus livros não caberiam mais em um folhetim, pois o autor acabou se sentindo limitado pelas exigências que essa publicação pede, uma grande periodicidade e espaço pré-determinado para seus escritos.

Como resumo, um livro que irá trazer estudos aprofundados, mas de fácil entendimento para aqueles que querem conhecer mais sobre a trajetória e a evolução da escrita de Machado tendo como panorama o estudo do romance de transição dessa fase e a revista em que o mesmo foi publicado.

Livro: Machado de Assis: do folhetim ao livro
Autora: Ana Cláudia Suriani da Silva
ISBN-13: 9788584440030
ISBN-10: 8584440038
Ano: 2015
Páginas: 288



Recebi este livro da editora na época do lançamento, e tenho que admitir que não fiquei muito animada em ler, sim, uma pessoa que adora livros pode ficar desanimada com um livro, especialmente se essa pessoa em questão tem alguns problemas mal resolvidos com leituras obrigatórias do ensino médio e uma certa professora (excelente profissional) extremamente exigente que me deu certo receio de alguns autores... resumindo, presentei minha amiga e blogueira Dani com esse livro. Ela que tem um interesse maior pelo tema fez uma leitura mais proveitosa do que eu faria do livro e ela apresentou agora para vocês a opinião dela sobre o livro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Se Chegou até aqui que tal comentar?!


Sua opinião é importante, assim sei o que está achando. Além disso, comentários são bem vindos, mas seja educado ;)

- AVISO: O blog NÃO disponibiliza livros para download, e NÃO permite comentários que contenham links para essa finalidade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...