domingo, 17 de setembro de 2017

[Capas iguais, Histórias diferentes # 12] Patricia Cabot x Chirlei Wandekoken


E ai, sentiram saudades da coluna que mostra as “coincidências” no mundo das capas dos livros? Estamos de volta para mostrar as semelhanças entre as capas dos livros “Um Amor escandaloso”, publicado pelo Grupo Editorial Record em 2015, e “Quando os Céus Conspiram”, publicado esse ano pela Pedrazul. Como é bem visível ambas as capas possuem a mesma imagem como base, mas são os detalhes e a trama de ambos que os diferenciam.

Um Amor Escandaloso, por Patricia Cabot
Quando a bela Kate Mayhew é contratada como dama de companhia de Isabel, filha de Burke Traherne, o marquês de Wingate se vê numa situação complicada. Por um lado, tem consciência de que a Srta. Mayhew é exatamente o que a jovem precisa, mas, ao admiti-la em sua casa, o marquês é obrigado a controlar a atração que sente pela moça. O grande inconveniente é que o cargo que ela ocupa a impede de se tornar uma de suas amantes. E Burke vive sobre o juramento de nunca mais se casar, depois de ter flagrado a ex-esposa num ato de traição.
Já a Srta. Mayhew não consegue parar de pensar em um homem pelo qual jurou nunca se apaixonar, e esconde um escândalo do passado. Ousará a bela moça lutar contra seus desejos e os fantasmas que parecem persegui-la? O homem que frequenta seus sonhos mais despudorados e o que habita seus piores pesadelos aproxima-se cada vez mais, e ela não sabe por quanto tempo mais conseguirá suportar.

Quando os Céus Conspiram, por Chirlei Wandekoken
Ela sabia fazer sexo, mas ele ensinou-a a fazer amor!
Inspirado na história real de Charlotte Hayes (século XVII), uma linda cortesã de um bordel londrino conhecido como “convento”, Quando os Céus Conspiram narra as histórias de Amy Hayes e o conde Filippo Raspail.
A linda camponesa escapara de ser estuprada por lorde Patchetts para dois anos depois ser violentada pelo filho bêbado de um fazendeiro. Desonrada, ela se muda para Londres em busca de trabalho. Mas Amy era bonita demais para ser empregada de uma dama. Ninguém queria aquela ameaça em sua casa. Restara a ela, portanto, A Casa das Damas, um conhecido bordel londrino que mantinha carruagem e criados de libré para suas damas da noite que eram ensinadas a se portarem como educadas ladies. Quando o visconde de Beauchamp, um dos lordes mais terríveis de Londres, tornara-se seu protetor, Amy caíra em total desgraça. Obrigada a ir com ele para Paris, num esquema de traição à Coroa Britânica, ela é salva por um cavalheiro quando tentava se matar no rio Sena.
Filippo Raspail era um nobre que, como Amy Hayes, tivera um passado tremendamente infeliz. Tudo que ele queria era cumprir seus dias na terra para finalmente encontrar sua amada Juillet no outro lado do desconhecido. Morta há mais de 20 anos, ele se enterrava com ela, pois a amargura o consumia dia após dia. Quando os céus conspiraram a favor deles, Amy, que odiava todos os homens, tivera que aprender que nem todos eles eram bestas, como ela os chamava, e Raspail que a vida podia não ser tão lúgubre assim.


E ai, qual livro vocês acham que combina mais com a imagem?

2 comentários:

  1. Oi, Pah!!
    Eu amo essa coluna!!
    Adorei a sinopse dos dois livros e não identifiquei qual deles teria mais a ver com a capa!! Rs... Mas agora quero ler os dois!! Rs...
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  2. Eu nunca encontrei livros assim, com capas iguais. Acho bacana colunas que nos mostram essas obras. Não me decidi sobre qual história combina mais com a imagem, mas a capa de Quando os céus conspiram foi a que mais me agradou, por ser mais clean e tal.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir


Se Chegou até aqui que tal comentar?!


Sua opinião é importante, assim sei o que está achando. Além disso, comentários são bem vindos, mas seja educado ;)

- AVISO: O blog NÃO disponibiliza livros para download, e NÃO permite comentários que contenham links para essa finalidade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...