loja Lendo e Escrevendo: É Assim Que Acaba (Colleen Hoover) #Resenha

quarta-feira, 7 de março de 2018

É Assim Que Acaba (Colleen Hoover) #Resenha


Um romance sobre a força necessária para fazer as escolhas corretas nas situações mais difíceis. Da autora das séries Slammed e Hopeless.Lily nem sempre teve uma vida fácil, mas isso nunca a impediu de trabalhar arduamente para conquistar a vida tão sonhada. Ela percorreu um longo caminho desde a infância, em uma cidadezinha no Maine: se formou em marketing, mudou para Boston e abriu a própria loja. Então, quando se sente atraída por um lindo neurocirurgião chamado Ryle Kincaid, tudo parece perfeito demais para ser verdade. Ryle é confiante, teimoso, talvez até um pouco arrogante. Ele também é sensível, brilhante e se sente atraído por Lily. Porém, sua grande aversão a relacionamentos é perturbadora. Além de estar sobrecarregada com as questões sobre seu novo relacionamento, Lily não consegue tirar Atlas Corrigan da cabeça — seu primeiro amor e a ligação com o passado que ela deixou para trás. Ele era seu protetor, alguém com quem tinha grande afinidade. Quando Atlas reaparece de repente, tudo que Lily construiu com Ryle fica em risco. Com um livro ousado e extremamente pessoal, Colleen Hoover conta uma história arrasadora, mas também inovadora, que não tem medo de discutir temas como abuso e violência doméstica. Uma narrativa inesquecível sobre um amor que custa caro demais.

** TRIGGER WARNING: Relacionamento Abusivo

“É assim que acaba” não é o primeiro livro da Colleen Hoover que eu leio, mas definitivamente é o meu favorito, em todos os livros que li até agora sempre há a história de uma garota/mulher que vai em algum momento precisar encontrar a própria força para encarar as situações que a vida lhe dá, mas especialmente nessa história Lily nos carrega por uma montanha russa de emoções e julgamentos.


O livro começa num dia particularmente muito difícil na vida de Lily, o dia do enterro do pai em que todos inclusive sua mãe esperava que Lily fizesse um discurso emocionado de despedida, mas a única coisa que Lily consegue entregar é sua frustração em forma de silêncio, desde pequena ela presenciou uma relação abusiva do pai com a mãe, mesmo que a violência do pai nunca tenha se estendido fisicamente a ela, psicologicamente moldou o caminho que ela decidiu trilhar.

“Talvez o amor não seja algo que vem no formato de um ciclo completo. Ele apenas flutua, pra dentro e pra fora, assim como as pessoas entrando e saindo das nossas vidas.”

Já adulta, formada em administração, Lily decidiu ir morar em Boston (a cidade tem um papel muito importante na vida de Lily, mas esses detalhes vamos conhecendo só aos pouquinhos), com o dinheiro da herança ela decide abrir o próprio negócio, uma floricultura (que  foi o que ela sempre desejou) e apesar das dificuldades do dia a dia ela tem se saído muito bem com relação aos seus planos; logo após a cerimônia na qual Lily se manteve em silêncio ela resolve ver a cidade de Boston do alto, para se acalmar, refletir e digerir suas emoções, aí que conhecemos Ryle um jovem cirurgião, focado na carreia, que por coincidência também está num péssimo dia (problemas no trabalho); obviamente rola um clima entre os dois e uma conversa/ joguinho bem franco que eles intitulam de verdades nuas e cruas que é divididas entre dois desconhecidos, temos um impasse, Ryle diz que a levaria pra cama porém deixa bem claro que não está disposto a uma relação amorosa  e Lily explica que não tem encontros casuais.

Todas as pessoas cometem erros. O que determina nosso caráter é se transformamos esses erros em lições, ou não.”

Obviamente Colleen Hoover nos faz amar Ryle mesmo ele já nos avisando que ele não é muito bom com relações, o fato é que depois de um encontro bem atípico Lily segue com o plano de abrir sua floricultura e acaba contratando Allyssa (a melhor personagem secundaria que existe na literatura contemporânea) e por um capricho do destino Alyssa é irmã de Ryle e rapidamente passa de funcionaria a amiga e até possivelmente em futura cunhada.

A primeira metade do livro se passa nesse tom leve, de um relacionamento divertido onde tudo parece se encaminhar para o happy end, cada vez que Ryle e Lily tem seus momentos de verdades nuas e cruas você se apaixona ainda mais pelo casal. E enquanto Lily vai reorganizando sua vida vamos acompanhando a releitura que ela faz dos diários que ela escrevia enquanto adolescente, nesses diários conhecemos Atlas (seu amor da adolescência) um garoto tão deslocado quanto a própria Lily ; em seus diários Lily costumava escrever cartas para a apresentadora Ellen De Genere, é nesse ponto do livro que Colleen nos mostra sua escrita mágica, as cartas nos aproxima ainda mais da personagem, é quase como se estivéssemos nos mesmo escrevendo e passando por aquelas situações; todas as referências pop colocadas não são somente para cativar o leitor, depois de ler esse livro você nunca mais olhará a personagem Dori ( de procurando Nemo) e sua frase de : “continue a nadar” da mesma maneira.

“Quinze segundos. Só isso já basta para mudar completamente tudo sobre uma pessoa. Quinze segundos que nunca teremos de volta.”

Em um jantar com Ryle e a mãe (que está conhecendo Ryle pela primeira vez) Lily reencontra Atlas e fica completamente desconcertada, ao que tudo indica ali teríamos uma triangulo amoroso, mas POR FAVOR NÃO se deixe levar por essa impressão, quando estamos apaixonadas pelos dois “mocinhos” nosso mundo desaba junto com Lily e somos convidadas a um mergulho de conflitos e julgamentos.

Ninguém é exclusivamente ruim ou exclusivamente bom. Algumas pessoas só precisam se esforçar mais para suprimir o lado ruim."

A vida acontece para esses três e o caminho que eles tomarão não é fácil, esse é um livro difícil de digerir, quando algumas situações se desenvolvem o desespero é quase tangível, julgar é inevitável, mas se colocar no lugar é indispensável e quando você acha que não tem mais como te tocar com essa história Colleen nos entrega uma nota sobre quem a inspirou nessa história.

“Agora eu sou uma estatística. As coisas que pensei sobre mulheres como eu são o que os outros pensariam de mim se soubessem de minha situação.”

Pode até parecer que contei muito da história aqui, mas acredite há muitas outras camadas que precisam ser debatidas. A coragem de Lily, a posição tomada por Alyssa são para colar todos os caquinhos que sobraram do coração ao terminar a leitura.

Ósculos e Amplexos, Karina.

Livro: É assim que acaba
Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
ISBN: 13: 9788501301642
ISBN: 10: 8501301647
Ano: 2018
Páginas: 368




Karina, biomédica por formação e bookaholic por paixão!
 * Resenha escrita pela colaboradora Karina Carvalho especialmente para o Lendo e Escrevendo

2 comentários:

  1. Oi, Ká.
    Amei a sua resenha!
    Estou doida para ler esse livro!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  2. Camis , sou suspeita para falar da Colleen , mas sme duvida esse eu indicaria pra qualquer um ! Beijos!

    ResponderExcluir


Se Chegou até aqui que tal comentar?!


Sua opinião é importante, assim sei o que está achando. Além disso, comentários são bem vindos, mas seja educado ;)

- AVISO: O blog NÃO disponibiliza livros para download, e NÃO permite comentários que contenham links para essa finalidade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...