loja Lendo e Escrevendo: #Copadomundoliterária: Conheça o país sede da copa de 2018

quinta-feira, 14 de junho de 2018

#Copadomundoliterária: Conheça o país sede da copa de 2018


Começa hoje uma edição especial da coluna Roteiro de Viagem Literária voltada para a copa do mundo e para os países participantes, por isso em uma série de postagens durante a Copa do Mundo vocês irão conhecer um pouco da história local e da literatura de cada um dos países, começando com o país sede dessa edição: a Rússia.

A Rússia, oficialmente Federação Russa, é um país localizado no norte da Eurásia. Com 17 075 400 quilômetros quadrados, a Rússia é o país com maior área do planeta, cobrindo mais de um nono da área terrestre. É também o nono país mais populoso, com 142 milhões de habitantes.[1]


Marcada por imigrações e emigrações nos primórdios de sua história, a cultura e poder da Rússia ficou mais conhecida e “difundida” mundialmente durante o longo reinado de Ivã, o Terrível, que quase dobrou o extenso território russo, anos depois a República Socialista Federativa Soviética Russa em conjunto com as Repúblicas Socialistas Soviéticas da Ucrânia, Bielorrússia e Transcaucásia, formaram a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), ou simplesmente União Soviética, em 30 de dezembro de 1922. A República Socialista Russa era a maior e mais populosa das 15 repúblicas que compunham a URSS, e dominou a união durante toda a sua existência de 69 anos. [1] Quem é que não se lembra de estudar sobre a URSS na escola?

No quesito literatura os autores russos produziram durante o século 19 extenso material que hoje é de conhecimento mundial e figuram entre os grandes clássicos da literatura, dentre eles: “Crime e Castigo” (1866), de Fiódor Dostoiévski; “Os Contos de Kolimá” (1970-1976), de Varlan Chalámov; e “Doutor Jivago” (1957), de Boris Pasternak. Hoje em dia, Liudmila Petruchévskaia é conhecida como uma das mais influentes e importantes autoras da atualidade e teve sua obra “Era Uma Vez Uma Mulher Que Tentou Matar o Bebê da Vizinha - Histórias e Contos de Fadas Assustadores” publicada em 2017 pela Companhia das Letras. Além disso, a literatura Russa possui características semelhantes à literatura brasileira, tais como “influências passam por questões temáticas, visões sobre literatura e mundo, 7inspiração e referência de personagens, estrutura textual[2], saiba mais sobre essas semelhanças AQUI

Para finalizar, cinco autores russos já receberam o Nobel de Literatura por suas obras, são eles: Joseph Brodsky (1987), Aleksandr Solzhenitsyn (1970), Mikhail Sholokhov (1965), Boris Pasternak (1958 – o autor foi forçado pelo governo a recusar o prêmio, pois suas obras faziam criticas ao governo da época) e Ivan Bunin (1933).

Conheça algumas obras russas e/ou que contam um pouco da história do país

Era Uma Vez Uma Mulher Que Tentou Matar o Bebê da Vizinha - Histórias e Contos de Fadas Assustadores, de Liudmila Petruchévskaia
Liudmila Petruchévskaia pertence ao grupo de escritores que não encontram equivalente em nenhum outro autor, tradição ou país. Considerada por alguns herdeira de Allan Poe e Gogol, a maior autora russa viva combina o contexto soviético em que produziu grande parte de sua obra com uma realidade povoada por assombrações, pesadelos, acontecimentos macabros e personagens sinistras. O resultado são história sobrenaturais que retomam a tradição dos contos folclóricos, porém dotadas de um humor contemporâneo e de uma carga política que não precisa se expressar diretamente para existir, pois, assim como não é à toa que a autora teve sua obra banida da União Soviética até o final dos anos 1990, tampouco é por acaso que ela recebeu em 2002 o prêmio de maior prestígio na Rússia pelo conjunto de sua obra.

Nicolau e Alexandra: o relato clássico da queda da Dinastia Romanov, de Robert K. Massie
Do mesmo autor do bestseller Catarina, a grande, Nicolau e Alexandra é a biografia cruzada do czar Nicolau II e de sua esposa Alexandra de Hesse, últimos soberanos da dinastia Romanov, que governou a Rússia durante três séculos. Combinando um cuidadoso trabalho de pesquisa e uma narrativa envolvente e instigante, Robert K. Massie, ganhador do Prêmio Pulitzer, mostra que a influência sobre a imperatriz do místico siberiano Gregório Rasputin, chamado para salvar o herdeiro do casal, hemofílico, associada à inabilidade política do czar e à crescente crise política internacional causada pelo início da Primeira Guerra Mundial foram determinantes para a derrocada do último grande império do mundo.

Crime e Castigo, de Fiódor Dostoiévski
Publicado em 1866, Crime e Castigo é a obra mais célebre de Fiódor Dostoiévski. Neste livro, Raskólnikov, um jovem estudante, pobre e desesperado, perambula pelas ruas de São Petesburgo até cometer um crime que tentará justificar por uma teoria: grandes homens, como César e Napoleão, foram assassinos absolvidos pela História. Este ato desencadeia uma narrativa labiríntica que arrasta o leitor por becos, tabernas e pequenos cômodos, povoados de personagens que lutam para preservar sua dignidade contra as várias formas da tirania.

Quer conhecer mais sobre a Literatura Russa? Confira esse post da História do Mundo AQUI.

Fontes das informações: [1] [2]

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Se Chegou até aqui que tal comentar?!


Sua opinião é importante, assim sei o que está achando. Além disso, comentários são bem vindos, mas seja educado ;)

- AVISO: O blog NÃO disponibiliza livros para download, e NÃO permite comentários que contenham links para essa finalidade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...